quarta-feira, 8 de julho de 2015

Uma parte de mim...

"Nada em mim foi covarde, nem mesmo as desistências: desistir, ainda que não pareça, foi meu grande gesto de coragem.." Caio Fernando Abreu
Tem dias que penso que escrevo de mais, ou melhor, falo de mais por aqui...
Por isso, pensei, pensei e pensei se realmente queria falar sobre isso (não que eu nunca tenha falado, comentei uma vez). Algumas de vocês já sabem, outras que chegaram a pouco tempo ainda não. Mas o que me traz aqui para falar sobre esse assunto tão delicado é a preocupação. Estou vendo muitas meninas entrarem nesse mundo sem alguém por perto percebendo o que está acontecendo e a seriedade do problema.

Não lembro ao certo se foi aos 16 ou 17 anos que tudo começou, só sei que foi por ali. Cada dia que me olhava no espelho me sentia mais gorda, enorme. Olhava a numeração da minha roupa e pensava que não estava certo. Pelo menos foi assim que tudo começou, porque a cada número que diminuía a coisa ia piorando e na minha cabeça precisava diminuir ainda mais.

Minhas roupas começaram a ficar larguinhas e isso de uma certa forma começava a me deixar satisfeita. Mas não era o suficiente, pois o espelho me mostrava outra coisa... Era estranho que minhas roupas ficassem um pouquinho mais folgadas e eu estivesse engordando daquele jeito. Chorava sozinha como uma louca. Olhava a comida e não sentia fome, quando sentia segurava o máximo possível para não comer, quando não dava para controlar, comia e vomitava escondida.

Quando ficava nervosa a coisa toda piorava. Vomitava descontroladamente o que não tinha no estomago. Provocava o vomito de todas as formas que me vinham na cabeça: dedo, chá de boldo, chá de tudo o que era tipo que tivesse cheiro ruim... Mas na maioria das vezes evitava mesmo era comer. A comida por si só já me dava repulsa. Via a comida como "vou ficar ainda maior".

No início minha mãe achou que era apenas desanimo, depressão... coisa da idade. Me levou no psiquiatra e ele confirmou. Como eu não dormia mais, me passou remédios para dormir e antidepressivos....
Eu não queria nada daquilo, principalmente porque para minha mãe só se tomava remédios com o estomago cheio... então vocês podem imaginar que ela fazia questão de que tomasse os remédios na hora das refeições. Não queria que ela percebesse o que estava acontecendo, porque na verdade nem eu me dava conta... Evitava o máximo tomar e quando não tinha outra alternativa, comia, tomava e quando tinha a oportunidade vomitava.

Comecei a desmaiar em casa, na rua, na casa de amigas... onde eu estivesse. Uma vez eu estava andando no centro com uma amiga, quando ela olhou pra trás eu estava no chão desmaiada. Acordei dentro do escritório da "TAM", com ela apavorada, cheia de gente em volta, as pessoas que trabalhavam me dando água e tentando me ajudar. Mesmo com meus joelhos sangrando fiz minha amiga jurar que não contaria para minha mãe.

Daí pra frente a coisa só piorou e foi então que minha mãe se deu conta do que realmente estava acontecendo. Me levou em tudo que é lugar para me tirar daquele buraco: psiquiatras, psicólogos. terapeutas... E nada dava resultado. Implorei para não ser internada. Cheguei a pesar 35 kg. Minha mãe começou a me levar com frequência para tomar soro, passou a dormir comigo para me vigiar.
Só nós duas sabemos "realmente" o que aconteceu.

De uma coisa tenho certeza: Se você não quiser melhorar, seja de qualquer vicio (não comer é um vício), ninguém será capaz de te ajudar.

Cheguei no fundo do poço e mesmo assim foi difícil perceber o quanto eu estava doente. Até que um dia (não lembro exatamente quando) decidi sair de tudo aquilo. Sair daquela cama, porque sim, eu cheguei ao ponto de não andar mais. Vi minha mãe sofrendo e quis dar um basta naquilo.
Não é fácil. Não pensem que decidi e fiquei curada. Pelo contrário, uma nova fase difícil começou.

Tem tanta gente ignorante no assunto... ouvia dizer: é só ela comer e pronto.

Primeiro que voltar a comer não foi assim tão simples. Meu organismo estava acostumado a não receber comida e também estava acostumado a colocar para fora o que recebia.

Quis fazer isso por mim e pela minha mãe. Não aceitei ajuda psicológica #mejulguem. Talvez por ter passado por profissionais desqualificados ou despreparados para um problema tão sério que tenham me deixado complexada. Talvez por me aceitar do jeito que estava e decidir que "entrei nisso sozinha e preciso sair dessa sozinha"... Não sei. Fui muito julgada por minhas escolhas. Mas nunca dei muita importância pra a opinião dos outros. Também nunca me rotulei como anoréxica e bulímica como ouvia as pessoas me chamarem.
Com apoio da minha mãe e muita determinação fui saindo aos poucos do buraco.

Foi um processo longo. Mas saí.

Comecei a me alimentar. Como não quis ajuda psicológica, minha mãe decidiu que precisava pelo menos de uma nutricionista... Aceitei ouvir o que ela tinha para me falar, mas achei o mundo dela surreal. Novamente comecei por conta própria e aos poucos fui voltando, deixando de ver meus ossos, ganhando uma corzinha. Comecei a trassar planos e objetivos, porque tudo isso para mim era um grande recomeço.

Não pensem que me curei da anorexia nervosa. Quando fico ansiosa, nervosa. estressada, ainda tenho crises (passei por 2 momentos muito difíceis e tive crises mais fortes, mas não me permiti voltar para aquele buraco).

Algumas de vocês podem estar me julgando, outras me achando boba e outras até me condenando. Mas aí no meio pode ter alguém que se identifique ou que identifique alguém muito próximo que talvez esteja entrando nesse caminho.
Eu não queria ajuda, não conseguia ver o que realmente estava acontecendo. Mas minha mãe não desistiu de mim, e se hoje estou aqui foi porque ela permaneceu ao meu lado, me deu a mão e juntas saímos do escuro.
Quantas meninas passam por tudo isso e não conseguem sair? Quantas meninas e até meninos chagam onde cheguei e vão até mais longe por terem desistido?

Estou sim me expondo de mais, mas não me importo. Aqui é meu blog-diário e nele sempre fui e sempre serei verdadeira. Talvez tudo isso sirva de desabafo. Talvez algumas deem risadas ou comentem sem nem ao menos ler o que escrevi, mas se eu conseguir ajudar pelo menos uma pessoa com a minha experiência, já valeu a pena.

A única coisa que peço é que me poupem de comentários debochados e maldosos ;)


Nanda Pezzi

22 comentários:

  1. Nanda querida,

    Sabia desta fase de sua vida, mas não com tantos detalhes. Foi bem pior do que imaginei. Você é uma guerreira e só merece elogios pela sua determinação. Achei muito importante este seu depoimento. Com certeza, irá ajudar quem está envolvido neste doloroso processo ou até iniciando no mesmo. A anorexia e bulimia são transtornos sérios e merecem toda a atenção, carinho e apoio dos familiares e amigos. Que bom que você teve sua mãe por perto para ajudá-la e que você teve a coragem de enfrentar o problema por si própria e por amor a ela. Fique firme em eventual crise, pois o pior você já venceu. Imagino o seu sofrimento e o de sua mãe. Graças a Deus você está linda e saudável. Você é inteligente, sensível e iluminada e conseguiu deixar no passado uma fase negra de sua vida. Parabéns pelo esforço, coragem e determinação!

    Por aqui, o frio continua. Já até tirei um sobretudo do armário para usar mais tarde, pois hoje é missa de um ano do falecimento
    de minha mãe. O dia está cinza e tristonho, assim como a minha alma.

    Beijão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem sei o que escrever Verinha... sabe aquele momento em que somem as palavras? Pois é, elas sumiram...
      Muitoooo obrigada <3

      Grande beijo

      Excluir
  2. Minha linda!
    Obrigada por compartilhar algo tão íntimo que deve servir de alerta para muita gente que é doida mesmo com esse negócio de ficar magra ! Sinto muito pelo que você passou e ainda bem, está aqui para contar a história, pois muitas não estão.
    É doloroso demais saber e imaginar o que você passou, mas melhor ainda saber que pode superar e seguir em frente e se tornou essa pessoa incrível.
    Quero lhe dizer que fico mais e mais orgulhosa de fazer parte um pouco de seu mundo , mesmo que virtualmente, essa mulher tão guerreira e forte. Sim, vc sim é uma vencedora ... Seja firme na luta, pq sei que quando as coisas apertam , tudo deve querer voltar.
    E saiba que tem muita gente que lhe ama e lhe entende.

    Mil beijos.

    ResponderExcluir
  3. Nossa Nanda, nunca imaginei que você tivesse passado por isso... fiquei emocionada com o seu depoimento e muito feliz por saber que o pior já passou, você foi forte para superar e tem a coragem de falar sobre o assunto para ajudar quem precisa.
    É muito bom sabermos que temos forças para mudar nossa vida, eu tive um 2014 muito dificil, mas também decidi sair disso e hoje estou bem feliz, sempre me policiando pra não voltar naquela "energia ruim" e tocando em frente.
    Parabéns pela coragem e força pra continuar bem, querida!
    beijos e ótimo feriado :)

    ResponderExcluir
  4. Ops, acho que o feriado é só no estado São Paulo, hehehe, mas boa de semana pra vc, de qualquer forma ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pri, não consegui entrar em seu blog... não aparece nada, acho que está fora do ar :(
      Obrigada Pri sua linda!!! Fiquei sem palavras para agradecer tanto carinho <3 Que bom que essa fase ruim de 2014 passou e que hj vc está ainda mais forte!!

      Grande beijooooo <3

      Excluir
  5. Gostei muito de poder conhecer um pouco mais de vc querida.
    As vezes precisamos desabafar, obrigada por compartilhar sua história.
    Beijos
    Jana Makes Esmaltes e Cia

    ResponderExcluir
  6. Oi Nanda acho que eu não cheguei a ler outro post que você tocou nesse assunto mas graças Deus a sua mãe e vc e sua determinação vc saiu dessa. Tenho certeza que o post pode ajudar muitas outras pessoas..

    Bjão

    Aline
    http://comprasdemulheres.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Você tem muita sorte de ter uma mãe amiga que te ajudou e creio que ainda
    ajuda, você é corajosa de mostrar este seu seu lado , e creio que você vai
    vencer completamente.
    beijinhos guerreira.

    http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá minha linda!
    Sabe que eu me orgulhava muito de ti, mas agora , me orgulho muito mais. Tenho certeza que o pior já passou e se conseguiu vencer uma vez, certamente vencerá sempre. Sei de quem és filha, e sei quanta força e coragem tinha sua mãe. Ela nunca deixaria você se entregar, desistir. Você é forte, determinada.
    Acredito que esse seu depoimento vai servir de alerta para muitas jovens que buscam um padrão de beleza imposto pelos meios de comunicação, outras que já estão passando por esses transtornos com certeza vai leva-las a pelo menos refletir sobre o que está acontecendo e sobre a possibilidade de tentar buscar tratamento. Enfim, não quero me estender. Quero apenas concluir dizendo que estou feliz em estar te conhecendo melhor, de está de alguma forma fazendo parte de sua vida mesmo depois de tanto tempo e mesmo de longe.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sí!
      Se não fosse pela minha mãe eu não teria saído de tudo isso... Muito obrigada pelo teu carinho, atenção e por nunca esquecer de mim <3 Jamais nos esquecemos de ti!!!

      Um grande beijoooo

      Excluir
  9. Querida, eu nao sabia isto sob ti,
    acho muito valente pela tua parte falar de isto, nem sempre é fazil.
    Certeza que foi coisa muito dura, as nossas mentes sao muito complexas, e as doenças mentais afetam muito tambem aos nossos corpos. Eu posso percibir muito bem como te estavas a sentir.
    Acho que todas as pessoas que teêm alguma doença assim tinham que fala-lo com mais normalidade, isso da para ajudar aos outros. Pois quando acomtece coisas assim a gente acha que estam sozinhas.

    Eu nunca te diz, mas eu tambem tive uma doença muito má, e ainda estou a me sanar, por isso é que eu sei o difizil que pode ser tudo isto. Tudo é um buraco preto do que achas que nao vas sair, mas é certo, tens que querer sair, lutar, se nao nao consigues.
    Um día a gente va falar de isto, eu vou-te contar qual é que a minha doença. Eu nunca tive problema en falar de isto (no principio sim, pois eu nem falava com ninguem) mas depois eu percibi que era mesmo bom fala-lo, pois isto no geral é um tema tabú, e isso é que é muito mau, pois eu sentiame sozinha por nao conhecer pessoas na minha situaçao, por isso se eu falo posso mostrar aos outros que é normal, que as doenças podem acomtecer a qualquer um, e somos muitos os que as sofremos.
    Já nao vou dizer mais nada, que ja é muito longo isto do que estou a falar kkkk
    Adorei conhecer isto de ti, ainda que seja mau, gosto de saber coisisnhas tuas, pois isto é um bocadinho de ti, um bocado mau, mas faz conhecer o teu presente (pois estamos feitos de pasado)

    Beijinhos querida, é força

    ResponderExcluir
  10. Parecem que eles já me conheciam, né?! Adoro um batom rosa!

    Na vida passamos por momentos difíceis. Cada um com uma cruz diferente. Não tem nem como saber exatamente como é a cruz do outro, porque só estando na pele mesmo pra saber. Mas, você superou tudo isso, e é o que importa. E mais: Está aqui para mostrar que conseguiu superar tudo e ajudar outras pessoas que estão passando por algo ruim. Por isso que te admiro tanto... É linda por fora, mas principalmente por dentro!

    Ótima sexta, Nandinha!

    Beijo! ^^

    ResponderExcluir
  11. Nanda.. todos somos humanos, aposto que cada um pode contar alguma coisa que outros julguem ..
    É bom quando alguém cria a coragem de se expor, e pode ajudar outros.. Eu já passei por outro tipo de situação que muitos me julgaram e criticaram..e uma coisa que você disse e que é muito verdadeiro , ninguém pode ser ajudado até realmente querer mudar. Eu já te admirava (sempre amei seu blog!) e hoje admiro mais, porque só pessoas muito fortes conseguem expor seus problemas para ajudar as outras!
    Um super beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh Mari, muito, muito, muito obrigada <3

      Um super beijo para vc tb!!!

      Excluir
  12. Bom dia minha querida! Este depoimento, so vem mostrar o quanto você tem garra e determinação! sabe, com a idade, aprendemos que todo mundo tem um vicio, uns mais visiveis, outros menos, sendo que para mim, um dos mais destrutivos, é a fofoca, a maldicência... portanto, ninguém pode julgar ninguém... da minha parte, eu so tenho a te dizer: você é uma vitoriosa! Beijos no coração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rê sua linda!!! Que saudade de ver vc por aqui <3
      Somos Rê... vc é ainda mais!!! Tenho um carinho e admiração enorme por vc!!

      Super beijo e muito obrigada por nunca esquecer de mim, saiba que sempre lembro de vc!!!

      Excluir
  13. Boa noite Nanda, nossa não sabia tão a fundo que você passou por isso. E todo o cuidado da sua mãe em te compreender.. Te ajudar. Muito bom esse tipos de depoimentos bem reais, tocou muito em mim que como mãe aprender a reagir nessas situações. Sei que não é fácil, mas você que superou, superando. Viu a melhor forma de se entender, viu até onde o limites da mente vai, e resolveu da a volta por cima. Aplauso e que sirva de exemplo para todos nós. Te admirando cada vez mais. Blog-diário que eu senti tanta falta. Botei a caveça no travesseiro e vc me veio na lembrança. E passo para te visitar, te adoro muito. =***

    ResponderExcluir
  14. Nanda se já te admirava antes... agora muito mais pela sua coragem garra e determinação de vencer um problema como o seu .
    Seu depoimento vai ajudar muitas mas muitas meninas que hoje seguem esse padrão imposto pela sociedade e e pela mídia.Parabéns a sua mãe que te amparou nesses momentos difíceis e parabéns a você por ter coragem de expor sua historia e ajudar tantas meninas que hoje passam por isso você é uma vitoriosa até chorei com seu depoimento ...Uma pessoa linda por fora e linda por dentro..bjs
    Fernanda Caterina

    ResponderExcluir
  15. Dividir para somar
    Para diminuir sofrimentos alheios
    Rever e continuar traçando os seus caminhos desviando dos buracos, multiplicando vitórias

    Eu tive Toc e Depressão e após um tratamento inicial com profissionais entrei no seu mesmo sentimento de entrei e vou sair, as seções farei diariamente comigo mesma, com minha fé, com meu blog, amigos, parentes

    Há casos e casos
    Mas o pegar as rédeas ou o seguir dados as mãos a profissionais e medicações tem um ponto em comum, reconhecer a limitação, querer transpor o entrave, ter coragem, determinação, fazer por onde
    Não se entregar, se amar e ver na vida, vida que pulsa e convida a ser feliz
    Ver e viver
    Ser qualidades e defeitos
    Glórias e lutas
    Simples e humano assim

    ResponderExcluir
  16. Nanda <3333
    Sua historia tem como um grande exemplo de superação e de que querer é poder mesmo que seja muuuuuuito difícil, tenho certeza que se tinha alguém passando por isso você ajudou com a sua experiencia não na teoria, mais na pratica.
    Você é uma guerreira é linda, todo dia é dia de vencer um obstaculo e quando a gente vence e se determina a vencer ficamos mais fortes!
    Me desculpa por não ter vindo aqui faz alguns posts, mais tenho andado muito, muito corrida mesmo, mais hoje viiim aqui matar a saudade dos seus posts hehehe
    Um super beijão da Carol e Camila VIU <3333333
    Vamos Papear 

    ResponderExcluir